Implante Dentário na Gravidez

Implante Dentário na Gravidez
Rate this post

A saúde deve ser sempre a prioridade para qualquer pessoa, e isso independe de sua idade, de seu porte físico ou de seu estilo de vida, se agitado ou sedentário. Devemos ter a saúde como base para que tenhamos sempre condições de exercer nossas atividades diárias, com energia e vitalidade suficientes para cumprir com nossas obrigações.

Implante Dentário na Gestação

E a saúde dentária, entre as condições que precisamos manter, é essencial para que tenhamos uma boa mastigação, uma excelente digestão e a possibilidade de trazer os nutrientes necessários para a manutenção da saúde total do nosso organismo.

Manter os dentes saudáveis é necessário e, nisso, devemos considerar também a mulher durante o período de gravidez, fase em que mais ela precisa dos nutrientes, uma vez que está alimentando dois seres humanos ao mesmo tempo.

Durante a gestação pode ocorrer que a mulher precise fazer qualquer tipo de cirurgia dentária, incluindo até mesmo um implante dentário. Certamente que o ideal, para isso, seria esperar o final da gestação, quando não há tantos riscos em realizar procedimentos mais invasivos, mas, se necessário, a mulher pode fazer o implante dentária, mantendo apenas cuidados especiais, devendo o implantodontista utilizar medicamentos e analgésicos apropriados para o caso específico da mulher grávida.

Quando é melhor momento para a mulher grávida fazer o implante dentário

Uma mulher gestante pode fazer tratamentos dentários em qualquer fase da gravidez, embora o mais aconselhado seja até o sexto mês. No caso de necessidade de radiografias, isso somente é possível após a formação do bebê no útero, depois do primeiro trimestre.

Em qualquer fase da gravidez os medicamentos devem ser evitados, principalmente no primeiro trimestre, quando as reações podem comprometer a formação do bebê. Alguns medicamentos podem ser prejudiciais, e isso precisa ser bem acompanhado pelo profissional responsável.

publicidade:

Sobre a Anestesia

Com relação à anestesia, praticamente não existem restrições, embora o implantodontista deva ter conhecimentos mais aprofundados sobre as ações de anestésicos, principalmente quando a mulher possui algum tipo de alergia ao medicamento. Algumas mulheres podem apresentar quadro de elevação na pressão arterial, com efeitos colaterais como taquicardia, falta de ar e hipoglicemia.

Da mesma maneira, os analgésicos precisam ser evitados, uma vez que estão associados à anemia, podendo provocar hemorragia no pós-parto. Outros medicamentos devem ser acompanhados pelo ginecologista, uma vez que ele é quem conhece o estado geral de saúde da paciente, pois as drogas como antibióticos ou contra ansiedade, podem prejudicar o desenvolvimento do feto.

Considerando tudo isso, é necessário que a paciente informe ao implantodontista sobre sua condição para que os cuidados sejam tomados. Se houver alguma dúvida, o implantodontista deve conversar com o ginecologista para esclarecer as dúvidas.

O tratamento deve ser feito com a verificação da situação da gestante, podendo ser aplicado algum paliativo, em alguns casos, esperando até o final da gestação para ser completado, quando isso for possível. Um tratamento de canal, por exemplo, não poderá esperar até o final da gravidez, já que provoca dores intensas, quando o nervo está inflamado.

Saúde Bucal na Gestação

Anestesia para Implante DentárioA gestação pode trazer algumas alterações que, em geral, trazem problemas dentários na mulher, como cáries e gengivites. Assim, é preciso que a gestante tenha maiores cuidados com a higiene bucal, mantendo sempre a escovação após qualquer ingestão de alimentos e evitando comer muitos doces (uma situação que é comum, embora prejudicial aos dentes).

Mantendo os cuidados normais de higienização, os tratamentos mais complicados podem esperar até o final da gravidez, tratando-se apenas aqueles causados por gengivite ou cáries, evitando-se o uso de medicamentos que possam prejudicar o desenvolvimento do feto.

Como a saúde bucal é ponto essencial para a alimentação e, consequentemente, para o desenvolvimento do feto, é importante que a mulher mantenha-se informada sobre o que deve ou não fazer nesta fase, orientando-se com o seu dentista e com o ginecologista, os profissionais mais indicados para cuidar da situação.

Deixe um comentário!

publicidade:

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*